A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) fará em novembro uma intensificação da busca ativa para vacinação contra o HPV para os meninos de 09 a 14 anos. A SMS pede atenção de pais e responsáveis para que vacinem as crianças e adolescentes nessa faixa etária.

De acordo com a chefe da Divisão de Saúde Pública, Marlise Marcondes, haverá uma intensificação de busca ativa para os meninos, como foi feito com as meninas durante a campanha do Outubro Rosa.

Marlise alerta que houve uma ampliação da faixa etária para os meninos, que passou de 11 para 09 anos. “É importante que os pais de meninos ficarem atentos, pois no cartão está para 11 anos, e houve uma atualização final de outubro que antecipou em dois anos a vacinação, passando para 09 anos”, explicou.

Além disso, a chefe de divisão comentou que existe um canal de comunicação entre a SMS e as escolas de Telêmaco Borba, onde farão alerta aos alunos, para que comuniquem os seus pais sobre a importância da vacinação.  

HPV

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 630 milhões de homens e mulheres (1:10 pessoas) estão infectadas pelo HPV (Papilomavírus humano) no mundo. Para o Brasil, estima-se que haja, aproximadamente, 9 a 10 milhões de infectados por este vírus e que, a cada ano, 700 mil casos novos da infecção surjam.

Cerca de 105 milhões de pessoas são positivas para o HPV no mundo. É a mais frequente infecção sexualmente transmissível (IST) na mulher e no homem. A maioria das pessoas serão, provavelmente, infectadas por pelo menos um dos diversos tipos de HPV ao longo de sua vida.

A vacina que protege contra o Papilomavírus Humano (HPV) foi incorporada de forma escalonada ao Sistema Único de Saúde (SUS) em 2014 e atualmente é aplicada em meninas e adolescentes do sexo feminino, entre nove e 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), meninos e adolescentes dos sexo masculino entre nove e 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) de idade e para grupos com condições clínicas especiais até os 45 anos (vivendo com HIV/AIDS, transplantados de órgãos sólidos ou medula óssea e pacientes oncológicos).

A vacinação contra o HPV em adolescentes é utilizada por mais de 100 países em seus programas nacionais de vacinação e vários deles já possuem estudos de impacto desta estratégia com resultados positivos no que diz respeito a prevenção e redução das doenças ocasionadas pelo vírus HPV (câncer do colo do útero, vulva, vagina, região anal, pênis e orofaringe e verrugas genitais). No entanto, apesar da segurança e efetividade dessa vacina, são preocupantes os dados de cobertura vacinal, especialmente os referentes a segunda dose e no sexo masculino, resultando assim, em um maior contingente de não vacinados no país, e sem a proteção devida para as infecções causadas pelo HPV e seus efeitos deletérios.

Dessa forma, considerando as inúmeras evidências do impacto positivo da vacinação contra o HPV para a saúde dos adolescentes, a disponibilidade desse insumo e que o princípio da equidade entre homens e mulheres deve ser adotado nas recomendações de vacinação quando os dados científicos assim permitirem, essa CGPNI amplia a faixa etária dessa vacinação para o sexo masculino, com a inclusão da faixa de 09 e 10 anos de idade, dando continuidade à oferta gradativa desse imunobiológico, já proposta em 2014, igualando a recomendação já em curso para as mulheres na faixa etária de 09 a 14 anos.

Faça seu comentário!

Transparência

Vacinômetro

Agenda Vacinas

Ação Organização

Boletim COVID-19