Com a recente emergência de saúde pública do coronavírus (COVID-19), uma ação conjunta se torna essencial para atender aos mais diversos problemas causados por tal adversidade. Devido ao alto potencial de transmissão do vírus, os profissionais da saúde que tem contato direto com pacientes em ambientes propensos ao contágio necessitam de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Uma das dificuldades encontradas pelas equipes de saúde é a falta destes, pois a demanda é imediata pelos itens em todo o território nacional, causa inexistência ou preços exorbitantes no mercado.

O presente projeto desenvolvido pelo IFPR Campus Telêmaco Borba (IFPR-TB) pretende confeccionar protetores faciais, que são um dos equipamentos de proteção individual utilizados pelos profissionais da saúde em suas funções de trabalho.

Estes itens têm por fim ajudar a prevenir o contágio, visto que impedem que gotículas, aerossóis e outros similares gerados pelo infectado contaminem os profissionais.

A fabricação destes itens se dará por meio de partes montadas em conjunto, sendo a estrutura principal impressa em impressora 3D, o visor recortado e perfurado a partir de polímero transparente e fita elástica. Projetos similares têm sido desenvolvidos em outras partes do mundo e do Brasil, com benefício de atender à demanda do sistema de saúde local ou da região.

O IFPR-TB possui a estrutura e o corpo técnico para atender esta demanda, e por meio deste projeto pode oferecer seus serviços em favor da comunidade em momento tão importante.

O Coordenador do projeto: Produção de protetores faciais para profissionais da saúde, o técnico em laboratório José Lucas de Andrade Gomes e a Vice coordenadora: Natara Duane Borges de Castilhos explicam que o processo de fabricação será realizado com os devidos cuidados para evitar a contaminação dos equipamentos, como o uso de luvas de látex e máscaras durante o manuseio e, posteriormente à montagem, os produtos serão desinfetados com álcool 70% e embalados com plástico transparente para envio.

Conforme os protetores forem sendo finalizados, estes serão disponibilizados para a entrega em serviços de saúde, como hospitais e unidades básicas de saúde.

Fonte – Comunicação IFPR Campus Telêmaco Borba

 

Faça seu comentário!