O Comitê Intersetorial de Enfrentamento ao COVID-19 (COMCOVID-19) informa que em Telêmaco Borba, no dia 26 de março, existem 40 casos notificados, sendo que quatro deram resultado negativo, um positivo e 35 são suspeitos. Ainda sobre estes casos, quatro pessoas são residentes em outros municípios.

O COMCOVID-19 destaca que tratam -se de casos devidamente notificados com sintomas respiratórios e critério epidemiológico. A Secretaria Municipal de Saúde informa que vem monitorando continuamente os casos e assim que tiver um resultado enviado do LACEN divulgará as informações ao público.

DADOS REAIS

Os Técnicos da Regional de Saúde e Vigilância Municipal avaliaram os dados e informações recebidas da Secretaria de Estado da Saúde.   As divergências entre o boletim do Estado e os Dados informados pelo município se deve a um conjunto de pontos levantados como, a duplicidade de dados, divergência de datas e pelo fato de que os serviços estão notificando no Sistema do Ministério da Saúde, de acordo com a portaria ministerial 454/2020, os casos de síndromes respiratórias (estado gripal). Porém, nem toda notificação de Síndrome Respiratória, quer dizer que o caso seja considerado suspeito de COVID-19.

Somente após análise clínica, e posterior validação com os serviços de epidemiologia da regional ou estado é que se define se aquele paciente é um suspeito em potencial e verifica a necessidade, ou não, da coleta de amostra para a realização de testes.

A própria Secretaria Estadual de Saúde apontou esta divergência de dados em seu boletim do dia 25 de março 2020.

CONFIRA O TRECHO DO BOLETIM ONDE O ESTADO EXPLICA OS DADOS:

“Todas as notificações pelos serviços de saúde de síndromes respiratórias constam no boletim como casos em investigação.

A medida cumpre a Portaria nº 454/2020, do Ministério da Saúde, que estabelece novos critérios e procedimentos.

Diariamente os serviços de saúde dos 399 municípios do Paraná notificam os atendimentos de síndromes respiratórias via sistema, isso explica o aumento diário significativo nos números em investigação. Porém, nem toda notificação quer dizer que o caso seja considerado como suspeito.

A Portaria do Ministério da Saúde exige a notificação imediata. Após isto, o serviço de saúde municipal, através da análise clínica, define se aquele paciente é um suspeito em potencial e verifica a necessidade, ou não, da coleta de amostra para a realização de testes, ou seja, o número de casos em investigação não significa que todos são considerados suspeitos”.

Atualizado no dia 26 de março, às 13h30.

Faça seu comentário!

Transparência

Vacinômetro

Agenda Vacinas

Ação Organização

Boletim COVID-19